Recém Casados

4 fases financeiras para você considerar antes de ter um filho!

vida financeira

A chegada de um filho muda não apenas a rotina da vida prática de uma família como também o seu planejamento financeiro. Desde o nascimento do bebê até o início da fase adulta, um filho vai gerar gastos através das mais variadas necessidades. Fazendo, assim, com que os pais tenham que se preparar e se planejar criteriosamente para receber o mais novo membro da família.

Essa questão é o que faz muitos casais adiarem o momento de ter um bebê ou até mesmo optar por não tê-lo. Se esse não é o seu caso, saiba como se preparar financeiramente para essa tão aguardada chegada! Preparamos para você um planejamento financeiro tendo em vista as diversas fases de um filho, da gestação até a fase adolescente.

Acompanhe:

LEIA: DICAS: facilite o planejamento financeiro do seu casamento

1 – Gastos com a mãe

Em muitos casos o planejamento financeiro para ter um filho inicia-se diante de um resultado de gravidez positivo, quando de fato o bebê já está a caminho. Durante a gestação, será a mamãe a fonte de novos gastos no orçamento familiar e, por isso, é preciso colocar na ponta do lápis as suas demandas, que, nesse período, resumem-se a praticamente uma:

Plano de saúde

Para ter um acompanhamento periódico da gravidez com realização de exames pré-natal, é necessário um plano de saúde. Se a mamãe já contava com um, essa não se constituirá como uma nova despesa, mas, caso ela não tenha, seu gastos aumentarão cerca de R$150,00 ao mês.

2 – Gastos do bebê

Os gastos com o bebê iniciam-se bem antes de seu nascimento, com a preparação do quarto, do enxoval, do estoque de fraldas, leite e remédios básicos para seu bem-estar. Confira quais serão as principais despesas para receber o bebê e mantê-lo saudável e confortável:

Quarto

O quarto do bebê tende a ser a primeira fonte de gastos, pois muitos pais fazem questão de empreender uma verdadeira reforma no cômodo que receberá o mais novo membro da família. Pintura de paredes; móveis como berço, cômoda, armário e poltrona; decoração e outros mimos tendem a ser os principais gastos.

Enxoval

O enxoval envolve as roupas de cama, como lençóis, cobertores, mantas, travesseiros e também as roupinhas. Esse último item, porém, deve acompanhar seu crescimento e as estações do ano. Sendo assim, é necessário ter roupas para o frio e para o calor, e de diversos tamanhos, pois ao longo de 2 anos o desenvolvimento da criança é enorme.

Fraldas

Constituem um dos maiores gastos para os pais ao terem um bebê. É por isso que a maioria organiza um chá de fraldas. Nele, os papais e mamães ganham de seus parentes e amigos parte desse estoque que acompanhará o bebê ainda por muito tempo.

Babá ou creche

Terminada a licença-maternidade, será necessário contratar uma babá para ficar com o bebê durante sua ausência ou deixá-lo em uma creche. Se a creche não for pública, é preciso contar com esse gasto no orçamento familiar.

Plano de saúde

O plano de saúde para o bebê deve ser contratado desde o seu nascimento. Afinal, ele deverá visitar o pediatra periodicamente.

3 – Gastos da infância

A partir dos 3 anos de idade a criança já possui outras necessidades e, consequentemente, apresenta novos gastos para a família. Os gastos principais de uma criança até 12 anos são:

Escola

Se você faz questão de matricular o seu filho em uma escola particular, prepare-se para esse gasto. Ele pode variar de R$300 a R$1.000. No entanto, vale lembrar todas as outras despesas que envolvem a escola como uniforme, lanche e material.

Roupas

Essa é a fase em que as crianças mais sujam e desgastam as roupas. Afinal, a diversão está em pular, brincar, rolar no chão e, obviamente, se sujar. Portanto, o gasto com roupas também tende a ser maior nessa fase. Esteja preparado.

Atividades extra-classe

Se você deseja que seu filho desenvolva habilidades para além das que são oferecidas na escola, matriculá-lo em uma atividade extra-classe é a solução. Balé, natação, artes marciais, aula de inglês ou outros cursos são alguns exemplos. Entretanto, vale lembrar que essas atividades tendem a não ser baratas.

4 – Gastos na adolescência

Na adolescência, os filhos até reivindicam mais independência, mas ainda dependem totalmente dos pais. Veja quais são os novos gastos nessa fase:

Escola particular e cursinho

Os gastos com a escola continuam até em média os 17 anos, quando o filho prestará o vestibular. Se a escola não oferece preparação para o vestibular, pode ser necessário matriculá-lo em um cursinho.

Roupas

Separe datas comemorativas como aniversário e Natal para dar esses presentes. Assim, a família não precisará ter esse gasto cotidiano com os filhos.

Transporte

Como está mais independente, o seu filho sairá mais com os amigos e poderá passear mais pela cidade. O gasto com transporte, seja ônibus ou táxi, deverá entrar também no planejamento familiar.

Você pode ter levado um susto com essa lista, mas não desanime! Com um bom planejamento é possível trazer o seu pequeno ao mundo e proporcionar saúde e bem-estar a ele durante toda a vida.

 

Texto elaborado por Organizze.

 

referral