Planejamento

Como conciliar a vida financeira de um casal?

Cuidar do dinheiro não é uma tarefa muito fácil, principalmente por conta da falta de conhecimento de boa parte da população em relação à gestão financeira e finanças pessoais. Quando o assunto é a vida financeira de um casal, o assunto pode ser ainda mais delicado.

Quer saber como cuidar da vida financeira a dois? Então continue a leitura do artigo de hoje e conheça algumas dicas que ajudarão você e seu par a controlar o dinheiro no dia a dia sem passar por apuros!

Vida financeira a dois: dúvidas e dificuldades

É perfeitamente normal ter dúvidas e passar por algumas dificuldades iniciais no que se refere à gestão financeira de um casal – principalmente quando se decide morar junto ou mesmo se casar, de fato. As pessoas costumam demorar a compreender, na prática, que a decisão de dividir a vida com o companheiro ou companheira também afeta a administração do dinheiro.

VEJA: Casar e iniciar a vida a dois sem dívidas: é possível?

Para começar a gerenciar as finanças do casal de maneira sólida e sem aborrecimentos é fundamental que os envolvidos conversem entre si e definem algumas questões relacionadas ao dinheiro, que vão desde a definição da criação – ou não – de uma conta conjunta até planos para aposentadoria.

Conta conjunta ou conta individual?

É preciso que o casal converse e defina de que maneira se sentirão mais confortáveis no quesito finanças. Nada impede que, por exemplo, o casal escolha manter suas contas individuais no banco e, ainda assim, contribuam financeiramente da mesma maneira para pagamento das contas do dia a dia e para projetos familiares – como uma viagem, a compra de um carro novo, etc.

O importante é que ambos se mantenham confortáveis, independente da decisão que for tomada em conjunto, e que tenham consciência de que um relacionamento requer cuidados redobrados quando o assunto é dinheiro. Afinal de contas, as decisões tomadas individualmente poderão impactar diretamente a vida do casal e, por isso, o ideal é que todas as escolhas financeiras sejam cuidadosamente analisadas pelos dois.

VEJA: Planejamento de viagem: 8 erros que você não deve cometer

Dívidas: como resolver?

A administração das dívidas deve ser feita por ambos os cônjuges, lembrando sempre que ser transparente com o parceiro é fator fundamental para manutenção da confiança no relacionamento – principalmente em momentos mais difíceis. Sendo assim, procure jamais esconder um endividamento ou dificuldade financeira do seu par.

Contraiu dívidas? Mantenha a calma: isso acontece com a maioria das pessoas! Procure dividir suas angústias com seu cônjuge e, juntos, busquem alternativas para quitar essas pendências de forma consciente e planejada.

Planejamento financeiro do casal: a melhor estratégia

A vida financeira de um casal será muito mais organizada e menos suscetível a imprevistos relacionados ao dinheiro quando se coloca em prática um bom planejamento financeiro. Esta é, sem dúvidas, a melhor estratégia para a manutenção do bem estar financeiro a dois.

Procure, desde o início do relacionamento, manter um planejamento financeiro conjunto, organizando a entrada de dinheiro e planejando o uso de cada centavo ganho pelo casal. É importante definir metas financeiras de curto, médio e longo prazo, e buscar sempre seguir o planejamento à risca em conjunto. Ter uma reserva de emergência também é muito importante, pois o casal estará resguardado em caso de imprevistos, evitando, desta maneira, passar por apuros financeiros.

O segredo do sucesso a dois

O segredo do sucesso para uma vida financeira mais tranquila em conjunto é justamente o diálogo e o esforço em conjunto para administrar as finanças da melhor maneira possível.

Converse com seu cônjuge, defina uma rotina de gestão financeira que seja adequada e confortável para ambos e, juntos, tracem metas e objetivos financeiros. Com determinação, esforço e muita calma é possível administrar as finanças em conjunto e conquistar, no longo prazo, aquela tranquilidade financeira tão esperada e desejada pelo casal!

 

Texto elaborado por Organizze.

| 21/03/2018